19 de Dezembro
Terça-feira às 20:30hrs
Desenvolvimento Mediúnico - Chamada de Yemanjá

Lua Nova


Orixás

Xangô

Senhor do Fogo, da Justiça e do Trovão
Sincretismo: SÃO JERÔNIMO
Dia da Semana: TERÇA-FEIRA
Cor: MARROM - Regente das Pedreiras, da Justiça, do Fogo e do Trovão.

Os filhos de Xangô, são de um caráter violento e imperioso. Viril e atrevido. Justiceiro por excelência. Castiga os mentirosos, ladrões e malfeitores. A mitologia conta que Xangô teve três esposas: Oyá (a guerreira de temperamento explosivo), Oxum (dócil, faceira e bela) e Obá (a fiel companheira prestativa e extremamente amorosa). Mesmo que no conceito Umbandista se diga que Xangô é das Pedreiras, as vezes dizendo-se somente das pedreiras, não reside a verdade pura. Ele rege as pedreiras, só isso, mas não reside somente ali. Mesmo que o melhor local para se depositar uma oferenda pra Xangô seja a Pedreira: No cume, ao meio ou aos pés dela.
Todos que se sentirem injustiçados devem recorrer a Xangô, pois na dureza da pedra, simboliza a inflexibilidade da Lei e da Justiça. É uma força enorme que de uma forma sensata e justa, dá a quem é devido o que lhe é de direito.
Sua importância na Umbanda é tão grande e forte, que chega a denominar uma Religião. No Nordeste, mais precisamente em Pernambuco, existe a Religião de Xangô. Os xangozeiros. O seu mantra no atabaque é um dos mais bonitos e difíceis para um Alabê, cujo toque chama-se Alujá. Contam os antigos Candomblesistas, que quando dois Pais-de-Santo se digladiavam por algumas diferenças que poderiam surgir, mediam suas forças, através de seus alabês (tocadores de atabaque) que iniciavam a disputa no tóque do Alujá, onde só terminava quando um dos alabês viesse a morrer. Por isso que o Alujá, é considerado como o tóque da morte. Os filhos de Xangô sabem o que querem e é muito difícil de serem enganados. Tem suas opiniões próprias, irredutível nos seus argumentos e acha sempre que está com a razão. Precipitado nas suas ações e faz de tudo para por em descrédito seus inimigos. Não tem por método em confiar nos outros. Em virtude de ser extremamente cuidadoso em tudo que faz e principalmente no que vê, pois tem o hábito de anotar tudo, exigente com as coisas certas, conforme sua ótica, são os que causam os maiores problemas dentro dos terreiros pois não admitem erros de ninguém. Não perdoam nem mesmo os Pais ou Mães de Terreiro, que muitas vezes tem que relevar certas coisas de seus filhos, causando com isso constrangimentos e aborrecimentos dentro dos terreiros. No lar ou em seu ambiente de trabalho, consegue respeito, porém consegue também muita indignação, por ser considerado chato, pois quer tudo sempre em seu devido lugar, não admitindo que alguém mecha em qualquer coisa e objeto que ele tenha colocado ali. Tem uma facilidade muito grande no que diz respeito ao sexo feminino. Em virtude de ser galanteador. Porém se casar com a filha de Yemanjá, se tornará frio e traidor. Jamais dará certo um casamento desses, é separação na certa. Para salvar um casamento desses, Xangô com Yemanjá, este casal corre o risco de nascer deles, um filho homem que tenha como seu Orixá Maior, Oxalá, ou uma filha mulher que tenha como seu Orixá Maior, Oxum. Mesmo assim, será um relacionamento frio, sem amor. Com a filha de Yansã em virtude de ser egocêntrico, metódico e extremamente correto, causa estranheza e mal estar no casal, que fatalmente virá trazer aborrecimentos infindos. Com a filha de Oxum sim, este é o casamento absolutamente perfeito para o filho de Xangô, pois todos os seus defeitos para a filha de Oxum se tornam virtudes.
Na vibração Original (Orixá XANGÔ), existem uma subdivisão, praticada mais no Candomblé, porém se faz necessário que os Chefes de Terreiros conheçam esta particularidade, pois assim saberão porque um filho de Xangô, muitas vezes se apresenta diferente de um outro, também de Xangô. Xangô Agodô (Justiça); Xangô Aganjú (Vento); Xangô Alafin (Criança); Xangô Djakutá (Pedreira e Mata); Xangô Kaô (Saúde); Xangô Kamwkay (Fogo); Xangô Kambará - Xangô Aboní - Xangô Alufã e Xangô Baru. Para qualquer destas vibrações ou Linhas como queiram a saudação é a mesma: Caô Cabiecile (Aportuguesado) ou ainda Caô Cabecile. Na grafia Yoruba é Káwòó Kabyesí. "Xangô esta chegando. Venham ver e admirar o Rei". O que dói nos ouvidos é chegar num terreiro e ouvir a saudação "Caô Cabecinha". Horrível! Ridículo!. Falta de conhecimento e o que é pior, soa como ofensa ao poderoso Orixá Xangô.

Untitled Document

Previsões 2018 - Ano de Bará

Vídeo



Video Documentário com a participação de Mestre Marne, a Umbanda e Todos Nós de Slain Franco Rosa ! Clique e assista.



Conheça seu Orixá

Digite sua data de nascimento:

 



Fale com o Mestre

Se você tem dúvidas, comentários ou sugestões, sinta-se a vontade para entrar em contato com o Mestre Marne a qualquer momento.
Isto é Umbanda por Mestre Marne

Fone 47 3366.4970

e-mail: mestremarne@terra.com.br
Reino de Juna Bomy
Rua Dom Daniel, 200, (esquina C/ Apiuna)
Bairro Vila Real - Balneário Camboriú - SC
Fone +55 47 3361-6833

Nome:

E-mail:

Mensagem: